Femina: Engorda? É Seguro? Pode Falhar?

Femina é um anticoncepcional bom e seguro para prevenir a gravidez, composto por desogestrel e etinilestradiol. O preço de Femina varia de R$ 20 a R$ 60, a depender da quantidade de cartelas compradas.

Cada cartela de Femina possui 21 comprimidos. Seu uso é indicado para mulheres adultas.

Indicações

O uso de Femina é indicado para prevenir a gravidez.

Como tomar/Posologia

Você deve tomar o primeiro comprimido de Femina no primeiro dia da menstruação, destacando o comprimido marcado pelo dia da semana correspondente na cartela.

Tome 1 comprimido todos os dias no mesmo horário, seguindo as setas. Quando acabar a cartela dê uma pausa de 7 dias sem tomar o anticoncepcional e inicie uma nova cartela no 8º dia.

Você poderá iniciar a nova cartela de Femina mesmo que o sangramento por privação de hormônios semelhante à menstruação que ocorre no período de pausa ainda não tenha ido embora.

  • Se usa outro contraceptivo oral combinado, anel vaginal ou adesivo transdérmico (contraceptivo):

Não dê pausa entre uma cartela e outra ou entre a retirada do método antes utilizado e o início da cartela de Femina.

Se o anticoncepcional que você faz uso possui comprimidos inativos você deve tomar o primeiro comprimido de Femina no dia seguinte ao que tomou o último comprimido ativo do anticoncepcional anterior.

  • Se toma minipílula:

Você pode parar de tomar a minipílula a qualquer momento e iniciar a cartela de Femina no dia seguinte, no mesmo horário. Utilize um método contraceptivo de barreira (ex.: camisinha) durante as relações sexuais nos primeiros 7 dias da ingestão de Femina.

  • Se usa anticoncepcional injetável, possui implante ou Sistema Intrauterino (SIU) com liberação de progestógeno:

Inicie o uso de Femina na data marcada para a próxima injeção ou no dia de extração do implante ou do SIU. Utilize um método contraceptivo de barreira (ex.: camisinha) durante as relações sexuais nos primeiros 7 dias da ingestão de Femina.

  • No pós-parto:

É recomendado pelos médicos que a mulher espere seu ciclo menstrual normalizar depois do parto antes de utilizar qualquer método contraceptivo.

Se a mulher já teve relações sexuais após o parto deverá se certificar que não está grávida.

No período de amamentação também não é aconselhado tomar qualquer anticoncepcional, apesar de alguns serem liberados. Só o médico poderá avaliar o caso.

  • No pós-aborto:

Consulte o seu médico.

Contraindicações

O uso de Femina é contraindicado para pacientes que já apresentaram:

  • Alergia aos componentes da fórmula do anticoncepcional;
  • Trombose (formação de coágulos nas veias, artérias ou órgãos) e outros distúrbios na circulação do sangue;
  • Derrame/AVC – Acidente Vascular Cerebral;
  • Sintomas de ataque cardíaco, como dor no peito, ou um AVC transitório;
  • Enxaqueca com aura (com sintomas visuais);
  • Diabetes mellitus com comprometimento das veias;
  • Inflamação do pâncreas (pancreatite) com aumento da gordura no sangue;
  • Doença grave no fígado ou icterícia (pele amarelada);
  • Câncer que pode evoluir por influência de hormônios sexuais femininos, como o câncer de mama;
  • Tumor ativo no fígado atual ou curado há pouco tempo;
  • Sangramento vaginal sem causa específica.

Pare de utilizar Femina imediatamente se apresentar algum desses efeitos pela primeira vez durante o uso do anticoncepcional.

Efeitos colaterais de Femina

Comuns:

  • Enjoos, dores no abdômen, ganho de peso, dor de cabeça, humor alterado e deprimido, dor e/ou sensibilidade nos seios.

Incomuns:

  • Vômitos, diarreia, retenção de líquido, enxaqueca, diminuição do desejo sexual, seios maiores, vermelhidão na pele e urticária.

Raros:

  • Intolerância às lentes de contato, reações alérgicas, perda de peso, desejo sexual aumentado, saída de secreção pelas mamas e secreção vaginal, eritema nodoso e eritema multiforme (doenças da pele).

Outros efeitos colaterais de Femina incluem:

  • Amenorreia (ausência de menstruação);
  • Infecções genitais, como a candidíase;
  • Intolerância à glicose;
  • Gengivite;
  • Pressão alta;
  • Púrpura trombocitopênica;
  • Tromboembolismo e trombose.

Femina e trombose:

O risco de trombose arterial para quem toma Femina e qualquer outro anticoncepcional combinado aumenta se você fuma, tem colesterol ou triglicérides elevados, pressão alta, enxaqueca ou algum problema cardíaco.

Gravidez e lactação

O uso de Femina é contraindicado durante a gravidez e amamentação. Em caso de suspeita de gravidez o uso de Femina deve ser interrompido imediatamente.

Composição

  • Cada comprimido revestido de Femina contém: 150 mcg de desogestrel, 20 mcg de etinilestradiol e excipientes – amido, povidona, ácido esteárico, estearato de magnésio, dióxido de silício, dextroalfatocoferol, lactose, monoidratada, propilenoglicol, macrogol, hipromelose e corante amarelo D&C nº10.

Laboratório: Aché.


Femina engorda?

O uso de Femina causa ganho de peso. Esse é um dos efeitos colaterais comuns presente na bula do anticoncepcional.

Anticoncepcional Femina pode falhar?

Femina pode falhar assim como qualquer outro método anticoncepcional, no entanto as chances disso acontecer são muito poucas.

Qual é o genérico de Femina?

O nome do anticoncepcional genérico de Femina é Desogestrel + Etnilestradiol (150mcg/20mcg).