Triquilar – Engorda? É Fraco? Quais são os Efeitos Colaterais?

Triquilar é um anticoncepcional tricíclico composto de levonorgestrel e etinilestradiol. O preço de Triquilar varia de R$ 7 a R$ 10. Seus similares incluem os anticoncepcionais Concepnor, Nociclin, Gestrelan, Seasonique, Ciclofemme, Normamor e outros.

Triquilar é apresentado em cartelas contendo 21 comprimidos (pausa de 7 dias). O contraceptivo oral é indicado para uso adulto por via oral.

Indicações

O uso de Triquilar serve para evitar a gravidez.

Como Tomar/Posologia

Se você não está utilizando outro método contraceptivo deve tomar o primeiro comprimido de Triquilar no primeiro dia da menstruação, começando pelo comprimido marcado pelo texto TOMEI A 1ª DRÁGEA. Marque o dia da semana em que tomou abaixo do título.

A partir daí, tome 1 comprimido todos os dias com um pouco de água se necessário, no mesmo horário, seguindo as setas. Depois de finalizar a cartela dê uma pausa de 7 dias sem tomar o medicamento e inicie uma nova cartela no 8º dia.

No período de pausa entre uma cartela e outra deverá ocorrer um sangramento causado por privação de hormônios semelhante à menstruação no 2º ou 3º dia. Você deverá iniciar a nova cartela de Triquilar no 8º dia após a pausa mesmo que ainda esteja sangrando.

O índice de falha de Triquilar, quando usado corretamente, é de aproximadamente 1% ao ano, ou seja, uma em cada cem mulheres que tomam o anticoncepcional pode engravidar anualmente.

  • Se você usa outro contraceptivo oral combinado, anel vaginal ou adesivo transdérmico (contraceptivo):

Deve iniciar a cartela no dia seguinte ao que finalizar o uso do método contraceptivo anterior, ou seja, sem pausa.

Se o anticoncepcional que você tomava antes possui comprimidos inativos você deve tomar o primeiro comprimido de Triquilar no dia seguinte ao que tomou o último comprimido ativo do anticoncepcional anterior.

No entanto o início do uso de Triquilar também poderá acontecer no dia seguinte ao último dia de pausa do contraceptivo anterior ou no dia previsto para a próxima aplicação do anel vaginal ou adesivo transdérmico.

  • Se você toma minipílula:

O início da nova cartela deverá acontecer no dia seguinte ao que você tomou a minipílula, no mesmo horário. Nesse caso será preciso utilizar um método contraceptivo de barreira (camisinha, por exemplo) durante as relações sexuais para garantir a proteção contra a gravidez nos primeiros 7 dias de uso de Triquilar.

  • Se você usa contraceptivo injetável, possui implante ou Sistema Intrauterino (SIU) com liberação de progestógeno:

Inicie o uso de Triquilar na data marcada para a próxima injeção ou no dia de extração do implante ou do SIU. Nesse caso você também precisará utilizar um método contraceptivo de barreira (camisinha, por exemplo) durante as relações sexuais nos primeiros 7 dias de uso do anticoncepcional.

  • No pós-parto:

Os médicos aconselham que a mulher espere seu ciclo menstrual normalizar depois do parto antes de tomar qualquer anticoncepcional.

Se a mulher já teve relações sexuais no pós-parto deverá assegurar que não está grávida antes de utilizar qualquer anticoncepcional.

No período de amamentação também não é aconselhado tomar qualquer anticoncepcional. A mulher deverá conversar com o seu médico primeiro para juntos tomarem a melhor decisão.

  • No pós-aborto:

O médico deverá ser consultado.

Contraindicações

O uso de Triquilar é contraindicado nos seguintes casos:

  • Suspeita ou confirmação de gravidez;
  • Mulheres amamentando;
  • Mulheres alérgicas aos componentes da fórmula do anticoncepcional;
  • Homens;
  • Mulheres fumantes: o ato de fumar aumenta os riscos de AVC, trombose e outros problemas no cardiovasculares com o uso de Triquilar. Não é aconselhado fumar durante o uso de qualquer anticoncepcional.

História anterior ou atual de:

  • Tromboembolismo ou trombose venosa profunda (obstrução de uma veia por um coágulo) e embolia pulmonar (quando o coágulo de sangue atinge o pulmão);
  • AVC (derrame) ou doença arterial coronariana;
  • Doenças que facilitam a formação de coágulos;
  • Enxaqueca com aura (enxaqueca caracterizada pelo surgimento de sintomas neurológicos como alterações na visão e na sensibilidade em um dos lados do corpo antes da dor de cabeça surgir);
  • Diabetes com comprometimento das veias;
  • Hipertensão descontrolada;
  • Câncer de mama ou qualquer outro tipo de câncer na mulher que possa evoluir na presença de estrogênio;
  • Tumor ou doença ativa no fígado;
  • Sangramento vaginal sem causa específica;
  • Pancreatite (inflamação do pâncreas) com hipertrigliceridemia severa (aumento dos níveis de triglicerídeos no sangue).

Efeitos Colaterais

Efeitos colaterais comuns de Triquilar:

  • Enjoos, dor no abdômen e ganho de peso;
  • Dor de cabeça;
  • Depressão ou alterações de humor;
  • Dor nas mamas e hipersensibilidade no local.

Efeitos colaterais incomuns:

  • Vômitos e diarreia;
  • Retenção de líquido;
  • Enxaqueca;
  • Diminuição do desejo sexual;
  • Aumento do tamanho das mamas;
  • Erupção cutânea e urticária.

Efeitos colaterais raros:

  • Intolerância a lentes de contato;
  • Reações alérgicas;
  • Perda de peso;
  • Aumento do desejo sexual;
  • Secreção vaginal e nas mamas;
  • Eritema nodoso ou multiforme (doenças de pele).

Efeitos colaterais graves que podem ocorrer com o uso de Triquilar são:

  • Distúrbios tromboembólicos arteriais e venosos (artérias e veias entupidas com um coágulo sanguíneo);
  • Derrame;
  • Pressão alta e hipertrigliceridemia (aumento de gordura no sangue);
  • Tolerância à glicose prejudicada ou efeitos sobre a resistência periférica à insulina, o que contribui para o descontrole da taxa de açúcar no sangue;
  • Tumores benignos ou malignos no fígado e alteração das funções do órgão;
  • Cloasma (manchas escuras na pele, especialmente no rosto);
  • Piora do angioedema (inchaço das camadas mais profundas da pele) em mulheres com angioedema hereditário (caracterizado pelo inchaço súbito da garganta e face);
  • Icterícia (pigmentação amarelada na pele e nos olhos) e/ou coceira causada pela colestase (fluxo biliar bloqueado);
  • Formação de pedras na vesícula;
  • Porfiria, lúpus eritematoso sistêmico (doença crônica autoimune), síndrome hemolítico urêmica e Corea de Sydenham (problema neurológico);
  • Herpes gestacional (doença autoimune que surge na gravidez);
  • Otosclerose – ligada à perda auditiva e doença de Cronh;
  • Colite ulcerativa (doença inflamatória crônica do intestino grosso) e câncer cervical;
  • O diagnóstico do câncer de mama é ligeiramente maior em mulheres que fazem uso de contraceptivos orais combinados, mas a relação direta do surgimento do câncer com o uso do anticoncepcional não foi estabelecida.

Gravidez e Lactação

O uso de Triquilar é contraindicado durante a gravidez e no período de amamentação.

Composição

O anticoncepcional Triquilar contém:

  • 6 drágeas contendo 0,05 mg de levonorgestrel e 0,03 mg de etinilestradiol cada uma;
  • 5 drágeas contendo 0,075 mg de levonorgestrel e 0,04 mg de etinilestradiol cada uma;
  • 10 drágeas contendo 0,125 mg de levonorgestrel e 0,03 mg de etinilestradiol cada uma;
  • Excipientes – lactose, amido, povidona, talco, estearato de magnésio, sacarose, macrogol, carbonato de cálcio, glicerol, dióxido de titânio, pigmento de óxido de ferro vermelho, pigmento de óxido de ferro amarelo, cera montanglicol.

Laboratório: Schering do Brasil, Química e Farmacêutica Ltda.


Triquilar engorda?

O uso de Triquilar pode engordar. O ganho de peso é um efeito colateral comum descrito em sua bula.

Triquilar é forte ou fraco?

Triquilar possui o mesmo mecanismo de ação de qualquer outro contraceptivo oral combinado (com dois hormônios), portanto não é forte nem fraco, mas contém a dose ideal de hormônios para produzir o seu efeito desejado que é impedir a gravidez.

Assim como qualquer outro anticoncepcional, Triquilar também possui margem de falha que consiste em 1% ao ano, ou seja, uma em cada cem mulheres que tomam o anticoncepcional pode engravidar anualmente.