Clonazepam – Ansiedade e Convulsões

Clonazepam é indicado para pessoas com dificuldades para dormir, casos de ansiedade ou outros distúrbios psicológicos. Além disso, previne e trata convulsões, tranquiliza e é usado em hospitais como sedativo.

Assistir esse vídeo no YouTube.

É vendido em forma de comprimidos para uso adulto e também em solução oral (gotas), para uso adulto e pediátrico.

Indicações

O uso de Clonazepam é indicado para o tratamento de:

  • Epilepsia;
  • Transtornos de ansiedade;
  • Síndrome do pânico;
  • Agorafobia (medo de ficar sozinho em lugares públicos ou muito abertos);
  • Fobia social (medo de se sentir observado pelos outros, como falar em púbico, por exemplo);
  • Transtorno bipolar;
  • Depressão maior; 
  • Acatisia (transtorno onde o paciente não consegue se sentar ou ficar sentado);
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Vertigem e sintomas de perda de equilíbrio, como sensação de desmaio, enjoos, vômitos, quedas, zumbidos, etc;
  • Síndrome da boca ardente.

Como Tomar / Dosagem

Nunca tome Clonazepam por conta própria: ele pode causar dependência e diversos efeitos colaterais. Por isso é importante usá-lo apenas por prescrição médica e com o devido acompanhamento.

Todo tratamento começa com uma baixa dosagem, que vai aumentando lentamente se o paciente precisar.

Doses Gerais de Clonazepam Comprimidos para Uso Adulto:

  • Epilepsia: adultos: dose inicial de, no máximo, 1,5 mg por dia, divididos em três tomadas. As doses podem aumentar progressivamente;
  • Distúrbio do pânico: dose inicial de 0,5 mg ao dia, divididos em duas tomadas.
  • Ansiedade em geral: 0,25 mg a 4,0 mg por dia, divididos em 3 tomadas;
  • Fobia social: 0,25 mg por dia, com a dose máxima até 6,0 mg por dia, divididos em 3 tomadas;
  • Transtorno bipolar: 1,5 mg a 8 mg ao dia;
  • Depressão maior (o clonazepam funciona como um complemento do tratamento): 0,25 a 3,0 mg, 2 vezes por dia;
  • Acatisia: 0,5 mg a 4,5 mg por dia, divididos em 2 tomadas;
  • Síndrome das pernas inquietas: 0,5 mg a 2,0 mg por dia, divididos em 2 tomadas ou em dose única.
  • Vertigem e sintomas de perda de equilíbrio: 0,25 mg a 0,5 mg, 2 vezes ao dia;
  • Síndrome da boca ardente: 0,12 a 3,0 mg, 2 vezes por dia.

Tomar os comprimidos com um pouco de água.

Doses de Clonazepam Solução Oral (Gotas)

Neste caso, a posologia também depende da doença ou transtorno do paciente, e deve ser individualizada e prescrita apenas pelo médico. As doses gerais são:

  • Epilepsia: adultos: dose máxima de até 1,5 mg por dia, divididos em três doses. A dose máxima por dia é de 20 mg. Recém-nascidos e crianças: dose inicial de 0,01 e 0,03 mg/kg/dia. A dose máxima por dia não deve passar de 0,05 mg/kg/dia, divididos em duas ou três doses;
  • Distúrbio do pânico: adultos: 0,5 mg/dia, dividida em duas doses;
  • Ansiedade: adultos: 0,25 mg a 4,0 mg por dia, divididos em 3 tomadas.
  • Fobia social: 0,25 mg por dia até 6,0 mg, divididos em 3 tomadas;
  • Bipolaridade: 1,5 mg a 8 mg ao dia, divididos em 3 tomadas;
  • Depressão maior (complemento do tratamento com outros remédios): 0,5 a 6,0 mg por dia, divididos em 3 tomadas;
  • Acatisia: 0,5 mg a 4,5 mg por dia;
  • Síndrome das pernas inquietas: 0,5 mg a 2,0 mg por dia;
  • Vertigem e sintomas de perda de equilíbrio: 0,5 mg a 1,0 mg, 2 vezes ao dia;
  • Síndrome da boca ardente: 0,25 a 6,0 mg por dia, divididos em 3 tomadas.

Contraindicações

O Clonazepam é contraindicado nos seguintes casos:

  • Pacientes que já apresentaram reações alérgicas aos componentes da fórmula do medicamento e a outros medicamentos da classe dos benzodiazepínicos;
  • Pacientes com doenças no fígado;
  • Pacientes com glaucoma agudo de ângulo fechado.

Efeitos Colaterais/Reações Adversas Mais Comuns

  • Sonolência;
  • Ataxia (perda da coordenação muscular);
  • Olhos com movimentos incomuns;
  • Perda da voz e da força muscular;
  • Coma ou visão dupla;
  • Enxaqueca;
  • Leve paralisia de uma metade do corpo;
  • Dificuldade para respirar;
  • Tremores, falta de equilíbrio e enjoos;
  • Inconsciência, bolhas na pele e e queda de cabelo;
  • Palpitações e dor no tórax;
  • Surgimento de pelos anormais em mulheres;
  • Inchaço no rosto e no tornozelo;
  • Anorexia e diarreia;
  • Prisão de ventre e dificuldade em controlar a saída de fezes;
  • Boca seca e aumento do apetite.
  • Tosse, bronquite, infecções respiratórias, rinite, congestão nasal;
  • Confusão, alucinações, histeria, depressão, amnésia e psicose;
  • Irritabilidade aumento do apetite sexual;
  • Urinar enquanto dorme, infecção urinária, retenção urinária, dor enquanto urina, cistite (inflamação da bexiga);
  • Falta de menstruação nas mulheres;
  • Anemia e dependência da droga.

Gravidez e Lactação

O uso de Clonazepam na gravidez pode causar malformação fetal. O medicamento só poderá ser utilizado se o médico considerar que os benefícios para a mãe superam os riscos para o bebê em formação.

Mulheres que estão amamentando não podem tomar Clonazepam.

Composição

Clonazepam é encontrado no mercado em forma de comprimidos, em cartelas com 20, 30 ou 60 deles, e em solução oral em gotas. Cada comprimido contém:

  • Clonazepam (substância ativa em quantidade descrita na embalagem) e excipientes – lactose, celulose microcristalina, amido, croscarmelose sódica, óxido de ferro amarelo, óxido de ferro vermelho, estearato de magnésio.

Cada ml (25 gotas) da solução oral de Clonazepam contém:

  • Clonazepam (substância ativa em quantidade descrita na embalagem) e veículo – ácido acético, aroma de laranja, aroma de pêssego, sacarina sódica di-hidratada, propilenoglicol.

Preço

Os preços de Clonazepam variam entre R$ 3 e R$ 10.


Clonazepam Engorda?

Na verdade não há nada comprovado sobre esse tipo de efeito em Clonazepam, atém porque, em algumas pessoas ele pode causar ganho de peso, enquanto em outras ele pode provocar perda de peso.

Ainda existem os casos em que as pessoas não sofrem nenhuma alteração usando Clonazepam.

Clonazepam com Bebidas Alcoólicas

Clonazepam não deve ser utilizado por quem faz uso de bebidas alcoólicas, pois isso faz com que o efeito do medicamento seja prolongado e potencializado, podendo causar alucinações.

Atualizado em: 12/04/2019 na categoria: Ansiolíticos, Anticonvulsivantes, Benzodiazepínicos, Relaxantes Musculares, Sedativos